Benefícios do chá para a saúde, você vai servir o chá preto?

Vote na matéria

Atualizado el27 de fevereiro de 2018, 18:07

O verde é muito rico em antioxidantes, o vermelho pode ajudar a reduzir seus níveis de colesterol ruim e o branco é o que menos cafeína tem. Mas o que há de chá preto? Como é bom tomá-lo ou o melhor é optar por outros tipos de chá? Cientistas da área de Pesquisa e Saúde do Centro IFAPA, vinculado à Junta de Andaluzia, conseguiram identificar alguns compostos benéficos presentes apenas no chá preto.

O segredo DO CHÁ BRANCO está em seu fermentação

Na verdade, o chá branco é o chá verde, que foi fermentado. Isso faz com que as células se oxiden e, por isso, perde seus compostos antioxidantes originais, os polifenóis. O que descobriram pesquisadores do IFAPA é que as substâncias que são gerados durante esse processo, as teaflavinas, são absorvidas até 94% durante o processo de digestão.

E por que é tão importante isso? Porque estes compostos, como os polifenóis, também contêm propriedades antioxidantes. As teaflavinas, além disso, podem nos ajudar a nos proteger do câncer, infecções, diabetes e doenças do coração, dizem os autores do relatório.

assim, aproveitamos os benefícios do chá preto

O estudo, publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, e em que também participaram das universidades de Glasgow (Reino Unido), Parma (Itália) e Califórnia (EUA). UU.), mostra que a maior concentração desta substância na urina ocorre 12 horas após a ingestão.

Isso significa que o encarregado de absorvê-lo é o intestino grosso. Ali, “as teaflavinas sofrem uma transformação química que transforma em moléculas mais simples, as quais são absorvidas e metabolizadas passando para a corrente sanguínea e, no seu caso, chegam a órgãos-alvo para exercer a sua ação benéfica”, explica a Saber Viver Gema Pereira-Caro, principal autora do relatório.

A microbiota ajuda para a sua saúde

Assim, para que as teaflavinas passem para a corrente sanguínea (e que possamos aproveitar melhor suas propriedades) , é fundamental que haja algo de que as “quebrar” em pedaços mais pequenos. Este algo são, nada mais e nada menos, do que as bactérias boas do intestino, conhecidas também como microbiota. E é no intestino grosso (ou cólon), onde mais se concentram esse tipo de bactéria (calcula-se que há entre as 100.000 milhões e um bilhão por grama).

“Devido à sua complexidade e tamanho, a absorção de teaflavinas não se dá no estômago ou no intestino delgado. Em nosso estudo demonstramos que, graças à ação da microbiota do cólon, estas moléculas se transformam em grande medida, em outras mais simples (de baixo tamanho molecular), as quais sim vão poder ser absorvidas e metabolizadas pelo organismo”, diz José Manuel Moreno-Vermelhas, Coordenador da Área de Alimentação e Saúde do IFAPA.

Neste sentido, não há que esquecer que o número e o tipo de bactérias que habitam nosso cólon podem variar muito entre as pessoas e outras. A dieta, o estilo de vida, a idade… são fatores que condicionam a nossa microbiota. “A transformação e, portanto, a absorção de teaflavinas no organismo vai estar altamente condicionada pela composição da microbiota. Com o que, quanto mais pobre for a nossa microbiota, menos “saudável” será o consumo de teaflavinas através da ingestão de chá preto”, ressalta Gema Pereira-Caro.

Por isso, do Saber Viver recomendamos cuidar especialmente da saúde da flora intestinal. Você pode obtê-lo, incluindo, em seus menus alimentos ricos em prebióticos como os aspargos, cebola ou a banana (que estimulam o crescimento das bactérias). Os probióticos do iogurte, as azeitonas ou o chucrute (repolho fermentado) também concordam, pois regeneram e mantêm o equilíbrio da microbiota.

Uma porta aberta para futuros estudos

O fato de descobrir o mecanismo que explica em detalhe como as teaflavinas são absorvidas pelo nosso organismo abre caminho para futuras investigações relacionadas com doenças muito sérias. “Com os resultados de nosso estudo, a comunidade científica pode verificar como agem estas moléculas sobre modelos de celulares em cultura, por exemplo, no câncer de mama, do cólon ou do fígado, e comprovar a sua eficácia”, aponta sua principal autora.

Assim SE prepara O CHÁ preto

Enquanto isso, e para aproveitar ao máximo as virtudes do chá preto, toma nota das seguintes dicas:

  • Quando adicionar o chá de água, não deixe ferver. A água deve estar quente, sim, mas para aproveitar ao máximo as suas virtudes e que não perca o seu aroma que retirar do fogo a água, quando esta começar a ferver. Adicione uma colher de chá por xícara (ou um saquinho já preparada) e deixe repousar durante 3 ou 4 minutos. Passado este tempo, retire as folhas de chá (se não a infusão pode ficar com um gosto muito forte).
  • Se quiser endulzarlo, melhor optar por mel, a estévia ou uma pitada de canela em que o açúcar (numerosos estudos indicam que abusar do refinado poderia acabar prejudicando a conclusão que, como você viu, é fundamental para aproveitar as virtudes do chá).
  • Se o que quer é reduzir o seu sabor, você pode adicionar um pouco de sua bebida vegetal favorito (aveia, arroz…). A hortelã e o limão também combinam muito bem com o chá preto.

Por último, lembre-se que o chá preto é o que mais contém cafeína. Por isso, é ideal beber pela manhã (se já tomas café, procura passar 2 ou 3 horas antes de preparar o chá). Em todo o caso, não tome mais que três xícaras por dia e evítalo se você sofre de insônia, estresse ou ansiedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *